Pesquise neste blog

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Diga ao seu corpo o quanto ele é importante para você...



Existem diversas formas de dizermos a nós mesmos e ao nosso corpo que ele tem importância, que é amado e respeitado. De fazê-lo sentir seu próprio desejo de viver. A melhor delas que conheço é deixa-lo praticar aquilo para o que foi concebido: movimento, atividade física, o toque. 

Atualmente existem vários estudos que mostram que os nossos mecanismos de regulação e de defesa do nosso corpo lutam contra o câncer se forem estimulados pela atividade física.
O exercício físico modifica em profundidade o equilíbrio hormonal. 

Reduz o excesso de estrógeno e de testosterona que estimulam o crescimento dos cânceres. Reduz a taxa de açúcar do sangue e consequentemente a secreção de insulina e de IGF que contribuem tão dramaticamente para a inflamação dos tecidos do nosso corpo, e para a formação dos tumores em nosso corpo. Os exercícios também agem diretamente sobre as citoninas responsáveis pela inflamação fazendo com que elas abaixem o nível. 

Da mesma forma que a meditação o exercício físico atua sobre o nosso sistema imunológico, nos protegendo contra o estresse das más noticias. 

Empenhar-se em um ato de respeito ao nosso próprio corpo, em contato com nossas forças vitais, nos traz uma serena determinação de que todos nós sofremos e estamos escolhendo lutar cheios de esperança. 

Aos poucos o cansaço da quimioterapia da lugar a nova força e energia que adquirimos e nos sentimos revigorados. Sem duvida nenhuma muitas vezes o esgotamento é tamanho que temos ideias de morte. Mas frequentemente conseguimos superar, quando pensamos no que podemos fazer com nosso corpo ainda. 

A fadiga do câncer, acrescentada aos tratamentos é um dos aspectos mais desanimadores da doença. E nos afeta a todos, podendo muitas vezes prolongar por anos após o termino do tratamento. Mas descobri que repousa e dormir não tem nenhum efeito reparador ao contrario, mais cansaço sinto, é como se meu corpo inteiro estivesse envolto em chumbo, enquanto quando me exercito me sinto revigorada e renovada em força. 

Tomei gosto por minha nova relação com meu corpo, com minha vida. Me reencontrar depois de uma seção de caminhada ou ioga, e sentir o que posso fazer por meu corpo, como ainda posso faze-lo atuar, ir em busca de energia no fundo do meu ventre é maravilhoso. essa é uma das maneiras que tenho encontrado de manter a doença a distancia.

 Mantenho me ereta, com o olhar inflexível. E digo ao fantasma do câncer com firmeza: “Vamos acertar nossas diferenças”.

Seu comentário é importante para meu trabalho, deixe-o aqui.
Muito obrigado!
Fátima Jacinto
Postar um comentário
Custom Search