Pesquise neste blog

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Somos aquilo que absorvemos


Nós somos aquilo que absorvemos, subestimar a importância de nosso cérebro em nossa vida atualmente é ingenuidade. É também é ingênuo não admitirmos que tudo aquilo que comemos influencia nossos pensamentos, atos e ações. Tudo o que comemos e absorvemos influencia em nosso humor, em nossa afetividade, em nossa vida sexual, em nossa concentração, e em tantos outros aspectos da nossa vida diária. 
 Quando nos conscientizamos de uma mudança alimentar em prol da nossa saúde, nosso corpo se torna mais leve e ágil, some a insônia, o mau humor matinal e a irritação. Temos uma maior estabilidade afetiva e uma enorme resistência ao estresse do dia a dia. 

Somos humanos e portanto temos que aprender a conviver com o espírito e com nosso corpo e alma, não fomos unidos casualmente e nem acidentalmente essa é nossa constituição. 

Pode parecer um exagero da minha parte, mas para muitos de nós alguns alimentos são verdadeiros venenos, só que o pior é que quando comemos eles na hora nada acontece. Os sintomas só vão aparecer três quatro dias depois, e por isso não conseguimos descobrir o que está nos fazendo mal.

 Alias nem fazemos ideia de que tudo o que sentimos tem origem em nossas escolhas alimentares.
Sim nossa historia familiar tem um peso importante nas doenças que vamos desenvolver, mas não seja ingênuo, são as nossas escolhas e decisões que vão traduzir para o nosso corpo a saúde ou a doença. 

Não estou falando em grandes transformações, mas em pequenas atitudes de todos os dias que fazem a diferença em nosso futuro. 

Sei talvez melhor do que a maioria dos meus leitores que mudar hábitos não é coisa fácil, pois quando decidi mexer com minha alimentação, de alguma forma senti que estava tocando no “sagrado” que havia em mim, e por isso talvez tenha conseguido ir mais devagar e continuar. 

Alimentação é nossa base, nos remete a nossa infância, aos momentos em que fomos nutridos por nossas mães por isso é sem duvida muito complicado de levar em frente uma transformação. O alimento nos faz ir no mais profundo do nosso ser, são os cheiros e as sensações que estão intimamente ligados a nossa memoria emocional que literalmente desintegra toda a nossa força de vontade racional. 

Mas tenho aprendido que certos alimentos que faziam parte do meu dia a dia eram realmente verdadeiros venenos não apenas para mim, mas para todos nós. 

Infelizmente vivemos em uma sociedade em que os interesses financeiros se sobrepõe muito mais alto do que a saúde da população. 

A mídia nos apresenta certos alimentos como se fossem indispensáveis para nós, e ficamos sempre com a impressão de que se não consumirmos e oferecermos aos nossos filhos ao menos três porções ao dia deles teremos nossa saúde e da nossa família comprometida, quando a realidade é exatamente o contrario.

Vou citar agora apenas o leite de vaca, que sem duvida alguma é excelente para os bezerros, mas não nos faz bem. Só que os interesses de tantos latifundiários, empresários, políticos, além da mídia que eles pagam falam com tanta autoridade sobre o assunto, e sem contar das enormes campanhas que são feitas dentro das universidades de nutrição, e medicina, que acabam por nos confundir. 

Temos que observar mais e ter mais cuidado com as informações que nos são apresentadas pelos meios de comunicação. Não podemos acreditar em tudo só porque “apareceu na televisão” estava na revista ou até mesmo ou principalmente na internet. 

Não aceite tudo como verdade, pesquise, informe, pergunte.
Seu comentário é importante para meu trabalho, deixe-o aqui.
Muito obrigado!
Fátima Jacinto
Postar um comentário
Custom Search